FAÇA O QUE EU DIGO…

27 outubro, 2010


O PT pediu ao TSE que impeça a divulgação de uma pesquisa registrada do instituto GPP. Argumenta que os tucanos, que a encomendaram e comunicaram o fato ao TSE, teriam deixado vazar o resultado para a imprensa antes mesmo dela ser divulgada. Bem, se eles vissem mesmo algum problema nisso, teriam pedido para impedir a divulgação do Vox Populi, do IBOPE e do Datafolha porque, entre tantos outros, Ricardo Noblat divulga seus resultados sempre antes. A do IBOPE ele chegou a anunciar com incríveis cinco dias de antecedência. Pior, o PT é cliente confesso do IBOPE e do Vox Populi. Espera-se que estes fatos também cheguem ao conhecimento do relator do caso, Ministro Henrique Neves.

Anúncios

DATAFOLHA, DE NOVO, APRONTANDO

18 outubro, 2010


Só pode ser piada. O Datafolha quer mesmo sair dessas eleições sem nenhuma credibilidade. Estão fazendo uma sondagem que dura um dia. Exatamente um dia. Quanto serão os entrevistados? 50? O instituto registrou uma pesquisa no TSE (3884/92) em que afirma que fará a amostragem de 21/10 a 21/10. Dá para entender uma sandice dessas?


CREDIBILIDADE NA BERLINDA

16 outubro, 2010

É fato, o PT anda muito mal de amigos. Nem é o caso de se falar em Sarney, Calheiros, Collor, Maluf e outros menos cotados. Já foi dito aqui a respeito do tucano Meirelles (https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/15/das-berinjelas/), presidente do BACEN, e que, conduzindo uma política tucana, tem ajudado a manter o governo Lula no auge, muito mais do que o Bolsa Família. Agora, o presidente do partido, José Eduardo Dutra, dá uma baita mão aos tucanos. Primeiro, FHC lembrou que o camarada conseguiu seu primeiro emprego na Petrobrás lambendo as bolas de algum general, colocado que foi sem concurso, notem bem: entrou na Petro sem concurso a mando dos militares. Mas até aí, isso pouco ajuda Serra. O que pega mesmo é outro caso. Ele acaba de dizer em alto e bom som ao jornal O Globo que, prestem atenção, encomendou pesquisas junto ao IBOPE e ao Vox Populi. Em miúdos, ele está a dizer que as pesquisas divulgadas foram, no mínimo, feitas sem muita imparcialidade.

Sobre o IBOPE, Ciro Gomes, coordenador da campanha a pedido do próprio Lula, disse meses atrás: “O IBOPE? O Montenegro (presidente do instituto), esse vende até a mãe. Eu sei disso de longa data” A fala está registrada numa entrevista ao vivo que ele concedeu. O jornalista Augusto Nunes a recuperou e reverberou em seu blog: http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/historia-em-imagens/o-aliado-de-dilma-pode-virar-a-maior-atracao-do-horario-eleitoral-de-serra/

Já Dutra foi mais além e confirmou que as pesquisas IBOPE e Vox Populi são, no mínimo, suspeitas. Ok, verdade seja dita, ele não disse que comprou as pesquisas divulgadas pela Rede Globo. Ele disse que comprou pesquisas, podem ser outras, de uso interno do partido. Normal que um partido compre pesquisas para seus próprios fins. O sapo aqui é um mesmo instituto servir à divulgação pública de uma informação e ao mesmo tempo servir a alguém que está envolvido na própria pesquisa. O simples fato de o IBOPE, na mesmíssima campanha eleitoral, prestar serviços ao PT já o coloca fora da faixa de isenção na divulgação de dados ao grande público sobre essa mesma campanha. É, grosso modo, uma situação análoga á das pesquisas pró tabaca financiadas pela indústria tabagista. Querendo, leia o que foi publicado em O Globo: http://oglobo.globo.com/pais/eleicoes2010/mat/2010/10/15/dutra-diz-que-pesquisas-internas-mostram-recuperacao-de-dilma-922801125.asp

Por que a Rede Globo encomenda pesquisas ao IBOPE? Para obter uma informação interessante aos seus telespectadores, só isso. Vamos desconsiderar, por ora, eventuais interesses da empresa em ajudar este ou aquele partido. A pretensão é mostrar um retrato da corrida eleitoral. Se o IBOPE tem como cliente, na mesma campanha, um dos partidos que concorrem, que credibilidade tem as informações que ele vende para a Globo divulgar ao público? Na melhor das hipóteses, perto de zero.Imagine que a Receita Federal tenha a brilhante idéia de contratar empresas de auditoria para ajudar no seu serviço de fiscalização da contabilidade de outras empresas. Nessa estranha hipótese, a RF contrata, digamos, a Price Waterhouse&Coopers, para fiscalizar a contabilidade da, digamos, General Motors do Brasil. Até aí nada demais. Mas eis que se descobre que a GM já é cliente da PW&C. Quem confiará nessa análise? É isto, só isto e nada mais do que isto. É aí que estão IBOPE e Vox Populi.

Já ontem, 15/10/2010, o Datafolha cometeu um erro grosseiro, arredondando as contas em favor da candidata Dilma. A coisa esmiuçada no post “Houston, we have a problem”: https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/15/houston-we-have-a-problem/ Para ajudar, segundo informações que o próprio instituto prestou ao TSE, quem o contratou foram as empresas Folha da Manhã, que vem a ser a Folha de São Paulo, e a Rede Globo, a mesma que divulga informações do suspeito IBOPE.

Sabe a Rede Globo que o PT encomendou pesquisas junto ao IBOPE também? Provavelmente sim. Por que ainda confia? Das duas, uma. Ou não confia e tem um qualquer interesse em divulgar dados pró PT ou faz pouco caso da credibilidade do instituto e acha que qualquer coisa divulgada serve para encher o espaço do Jornal Nacional. Foi enviado um e-mail á Globo com o seguinte teor: “A Globo tem ciência de que, nesta mesma campanha, o PT contratou o IBOPE? A Globo acredita que isso tenha algum impacto na credibilidade das informações vendidas pelo instituto á emissora?” Aguarda-se resposta. Vindo, publica-se aqui.

Já não é de hoje que os institutos de pesquisa estão sob suspeição. Até o ano passado, a coisa estava mais para chororô de perdedor. A conversa mudou. Os erros cometidos já não são mais matematicamente aceitáveis e estão destoando muito da realidade encontrada nas urnas. 5% parece coisa pouca, mas além de ser o suficiente para eleger um e não outro, é suficiente também para determinar o sucesso ou o fracasso no lançamento de um produto, ou seja, os institutos estão se colocando na berlinda frente a todos os seus possíveis clientes. Resta saber a troco de que.


HOUSTON, WE HAVE A PROBLEM

15 outubro, 2010


Hoje, 15/10/2010, saiu uma nova pesquisa Datafolha. Dilma 47%, Serra 41%. Nos votos válidos, Dilma com 54% e Serra com 46%. Muita gente sentiu um cheiro de coisa marrom no ar. De fato, o Datafolha arrendou os votos válidos de Dilma para mais e os de Serra para menos. Pior, arredondou 0,4 dela para mais e o 0,5 dele para menos. Se isso não for tendencioso, só pode ser incompetência. De um jeito ou de outro, o instituto acaba de dar um passo largo rumo ao descrédito total.


A divulgação toda feita pelo Datafolha é a seguinte: Dilma 47, Serra 41, indecisos 8, brancos/nulos 4. Soma tudo: 100. Aí é que vem o pulo do gato. O Datafolha deu uma mãozona pra Dilma e tascou que ela tem 54% dos votos válidos e Serra tem 46%. Aqui: http://www1.folha.uol.com.br/poder/815388-em-cenario-estavel-dilma-mantem-vantagem-de-oito-pontos-sobre-serra-diz-datafolha.shtml Tá errado. Muito errado, errado o suficiente para mandar um foguete para Marte ao invés da Lua.


A conta é simples. O tanto de votos válidos de cada um é igual a seu próprio percentual divido pela soma dos percentuais dos dois. Por que? Porque isso representa o percentual que eles realmente têm entre os que votam em um ou em outro. Então fica assim:


Dilma 47 + Serra 41 = 88.


Daí: 47/88 = 0,53409 = 0,534 = 53,40


E: 41/88 = 0,4659 = 0,465 = 46,50


E o que o Datafolha fez? Contou pra todo mundo que Dilma tem 54 e Serra 46. Se existe alguma estrambólica metodologia que justifique isso, deveria ser divulgado junto. A matemática comezinha diz que Dilma tem 53,4% e Serra tem 46,5%.


Mas e os indecisos? Bem, a supor que seja mantida a mesma proporção dos decididos, não faz a menor diferença, porque aí eles só fazem aumentar o total de votos dados a cada um. Mantida a mesmíssima proporção dos decididos temos o seguinte:


47% de 8 = 3,76


41% de 8 = 3,28


4% de 8 = 0,32


Daí o total de votantes em um ou outro fica assim:


Dilma 50,76% + Serra 44,28% = 95,04


50,76/95,04 = 0,53409 = 0,534 = 53,40


44,28/95,04 = 0,4659 = 0,465 = 46,50


Exatamente a mesma coisa. Nem poderia ser diferente, porque se trata de reles proporções e o tamanho do bolo não muda nada.


Numa época em que os institutos estão com a corda no pescoço, fica difícil acreditar num singelo erro. O que diabos o Datafolha quer com a vitória de Dilma? Ajudar a enterrar o Estadão? Se o caso for só de incompetência mesmo, sabe-se lá se não é ainda pior.


Seja como for, o Datafolha vem dando ajudinhas em prol de Dilma a campanha inteira. Não precisa explicar nada a ninguém, por óbvio que não, só e tão só se quiser ainda resgatar a sua antiga credibilidade. Do contrário, é livre para torcer e distorcer para quem quiser. E compra gato por lebre quem quiser.