Guenon e o protestantismo

1 novembro, 2010

“Hay que destacar que, en una religión donde el elemento social y sentimental predomina sobre el elemento intelectual, la parte del dogma y la del culto se reducen simultáneamente cada vez más, de suerte que una tal religión tiende a degenerar en un «moralismo» puro y simple, como se ve un ejemplo muy claro de ello en el caso del protestantismo; en el límite, que, actualmente, ha alcanzado casi un cierto «protestantismo liberal», lo que queda ya no es una religión, puesto que no ha conservado más que una sola de las partes esenciales, sino simplemente una suerte de pensamiento filosófico especial.”
René Guenón, sobre o protestantismo, em Introdução Geral ao Estudo das Doutrinas Hindus.

Anúncios

EM 28/10/2010 DILMA DECLAROU PUBLICAMENTE SER CONTRA A PRISÃO DE QUEM PRATICA O ABORTO

28 outubro, 2010


Acabou a lenga lenga. Dilma Vana Roussef acaba de declarar que não é a favor da criminalização do aborto. O que, na prática, a coloca como favorável à descriminalização. Foi ela quem disse, ninguém colocou palavras na boca dela. Foi hoje. Hoje, não no passado. Não foi em entrevista escrita, foi gravada e ela sabia que era gravado e que seria transmitido para todo o Brasil. De modo que não resta dúvida: Dilma é a favor da descriminalização do aborto. Na mesma entrevista ela disse que o Papa tem todo direito de expressar sua opinião, colocando assim seus militontos numa posição estranha, já que o dia todo só faltaram chamar o mesmo de santo. Somando tudo, ficou assim: o Papa emitiu uma orientação moral e espiritual para que católicos brasileiros não votem em candidatos que apóiam o aborto. A Posição de Dilma é bem clara, segundo suas próprias palavras. Segue a orientação do Papa quem achar que deve. Abaixo o vídeo com as palavras dela.

http://storage.mais.uol.com.br/embed.swf?mediaId=7130336

Aí está. Ela diz claramente: prisão não dá. Ela não quer prender quem pratica o aborto. Pronto. Simples assim. Ela é a favor da descriminalização do aborto.

Os petistas estão se roendo pelo fato de questões morais terem surgido na campanha. Acharam que o debate seria só em torno dos temas que eles colocaram na mesa. Mas o eleitorado não quis embarcar nessa e o tucano Serra soube aproveita-la. Prevendo o tamanho da encrenca, o pessoal da campanha arrumou uma militante do PSOL, que declarou votar em Dilma no segundo turno, para declarar que ouviu Mônica Serra dizer que fez um aborto. A jornalista Mônica Bergamo, habituada a lidar a cobrir eventos de celebridades, as quais adoram uma fofoca, achou que aquilo era suficiente, considerou que o fato de uma pessoa dizer que outra disse que fez certa coisa é o suficiente para uma matéria. Publicou. No final, ninguém botou muita fé no negócio.

Mas aí vieram com uma de Serra apoiou o aborto quando era Ministro da Saúde. Pegaram uma diretriz técnica do tempo dele na pasta e tentaram usar contra o mesmo. essa normativa técnica não fala nada sobre quando se deve fazer aborto, só fala qual deve ser o procedimento técnico na hipótese de o médico, por qualquer motivo, tiver de levar adiante um procedimento desse tipo. Por exemplo, uma ordem judicial ou um caso legalmente admitido de a vida da mãe estar em risco inegável. Como pular disto a um apoio claro ao aborto era muita forçação de barra, morreu na praia também.

É bem verdade que há setores e eleitores do PSDB que são favoráveis ao aborto. Mas José Serra mesmo não se pronunciou abertamente em favor disto no passado.

Ainda que tivesse Serra apoiado abertamente o aborto, nem por isto a posição de Dilma seria mais defensável. Se um católico, nos conformes da sua espiritualidade, achar que não deve votar em quem apóia o aborto e se convencer de que ambos os candidatos são pró-aborto, nesse caso ou ele não voto ou vota nulo ou branco. Os militontos agora não têm mais como negar que sua candidata é contra prender quem pratica o aborto. Se isso é ou não motivo para se votar ou deixar de votar em alguém, é problema de cada eleitor.

A irritação da esquerdalha com o episódio do aborto é que traz para o debate eleitoral algo que eles julgam impertinente: questões morais. Ora, as pessoas se regem pela moral, é a base da convivência social, mas para a esquerda, o negócio é que as condutas humanas não podem ser senão permitidas ou compelidas por regras objetivas editadas pelo Estado e, por isto mesmo, garantidas pelas armas. Fazer algo apenas porque é o certo a se fazer, é impensável. A conduta deve ser permitida ou obrigatória se e tão somente se os professores de felicidade e engenheiros sociais chegarem a um consenso e aí os políticos encamparem a idéia e formularem leis, sempre garantidas pelas armas. Certo, errado, justo, injusto, são conceitos que a esquerda quer extirpar da civilização, por isto não admite sequer isso seja discutido numa eleição para ver quem comandará o Estado.

****

LEIA ABAIXO

Sobre o PNDH-3, entrevista com Ives Gandra:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/28/o-pndh-3-explicado-por-ives-gandra/

Sobre a orientação espiritual do Papa bento XVI para fiéis não votarem em candidatos que apóiam a eutanásia, aborto e suicídio assistido:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/28/qual-catolico-deixara-de-votar-em-dilma/

Sobre o MP carioca enquadrar vários políticos do PT e PMDB por abuso do poder econômico:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/28/mp-carioca-tenta-enquadrar-petistas-por-abuso-do-poder-economico/

Sobre manchetes que mostram quem realmente ganha com este governo:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/28/manchetes-do-dia-sobre-o-governo-dos-pobres/

Sobre o presidente da CNT/Sensus fazer campanha descarada para o PT:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/28/presidente-da-cntsensus-faz-campanha-para-dilma/

Sobre o perigo de se eleger Dilma crendo que ela será Lula lá outra vez e sobre lições de história que nada valem para militontos e petistas de ocasião:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/27/lula-periga-ser-o-novo-kirchner-e-dilma-o-novo-pitta/

Sobre o lucro formidável dos bancos, do gasto de R$ 191 milhões na campanha do PT e este se dizer o governo dos pobres:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/27/e-possivel-servir-a-dois-senhores/

Sobre o PT ter usado indevidamente o nome de outro artista no tal manifesto dos intelectuais:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/27/outra-manifestacao-contra-o-manifesto/

Sobre o regime pelo qual Dilma Roussef e Franklin Martins orgulhosamente pegaram em armas:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/27/pelo-que-dilma-roussef-e-franklin-martins-pegaram-em-armas/

Sobre o cancelamento da entrevista com Serra pelo SBT e um negócio de R$ 7 bilhões de Sílvio Santos com o governo federal:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/26/sbt-cancela-entrevista-com-serra-silvio-tem-7-bilhoes-de-motivos-para-fazer-isto/


QUAL CATÓLICO DEIXARÁ DE VOTAR EM DILMA?

28 outubro, 2010


O Papa Bento XVI não tem nenhuma autoridade legal sobre nenhum brasileiro. Zero. Nada. Necas. Picirica nenhuma. Ele fez um sermão ontem e disse que, quando os direitos fundamentais da pessoa ou a salvação o exigirem, os padres devem fazer um juízo moral mesmo em questões políticas. Trocando em miúdos, ele quis dizer que se nego apóia a eutanásia, o suicídio assistido ou o aborto, então os padres devem emitir seu juízo de valor a respeito da posição desse camarada quanto a esses temas, ainda que ele seja candidato. A petralhada ficou raivosa e pela internet o menos ofensivo dos comentários fala em Papa nazista. O Papa não disse nomes, nem citou partidos, candidatos ou ideologias, os petistas vestiram a carapuça por vontade própria. Não dá para entender porque, afinal, a candidata Dilma jura de pés juntos que ela não apóia o aborto, desmentindo a si mesma e a diversos documentos internos do PT, além do PNDH-3. O que pega é que os petistas, os militontos, eles não entendem o que seja uma igreja, qualquer igreja, e acreditam que todas as associações humanas são como a sua, acham eles que sempre que algum chefe ou líder de uma associação qualquer faz uma sugestão ou recomendação está dando ordens, porque, afinal, eles não estão acostumados a pensar sobre as sugestões que recebem do Partidão, eles a seguem cegamente. Para os petistas, uma orientação moral é algo incompreensível, eles entendem que seja algo similar às ordens camufladas que recebem do comando do Partido.

Uma igreja, qualquer igreja, é, num certo sentido, uma simples associação de pessoas com um interesse comum. Existem associações de colecionadores de chuteiras de jogadores de futebol. Associações de fãs do Restart. Associações de adoradores de vibradores. Associações de bairro. Associações de criminosos. Associações de todo tipo, por todo lado. O que junta todas essas pessoas é um interesse comum qualquer. No caso da igreja, qualquer igreja, o interesse em seguir um caminho espiritual qualquer. Outros interesses podem estar presentes, cada um sabe o que se passa na sua cabeça, mas o objetivo geral de qualquer igreja é apenas espiritual, é isso que elas oferecem realmente, o resto é acessório.

Pra começo de conversa, petista não tem nem idéia do que seja algo espiritual. Foram doutrinados a acreditar que isto tenha algo a ver com contos de fadas. Essa asneira dispensa comentários. Mas como eles não entendem nada disso, acabam não entendendo o que seja um sermão ou uma pregação. Não têm a menor idéia. Por algum estranho motivo, não fundamentado nos fatos, eles acreditam que uma pregação seja uma série de ordens de fato ou uma coleção de palavras de ordens que os fiéis de uma igreja acatam cegamente. Como não é nada disto, tem um monte de católicos transando antes do casamento, fora do casamento, sem ou com camisinha, muito embora a ICAR recomende expressamente que só se faça sexo depois do casamento e sem camisinha. Os militontos provavelmente fariam exatamente isso se estivesse escrito em algum panfleto ou jornalzinho do PT.

No caso da ICAR, o dever de um padre é guiar os fiéis no caminho espiritual, rumo à salvação e rumo a uma vida cada vez mais de acordo com os preceitos divinos. Só isso. Não há nenhuma hierarquia entre padres e fiéis na vida cotidiana. Todo respeito e eventual medo é meramente reverencial, não legal e nem mesmo contratual, como pode acontecer em alguns tipos de associações. Nada disto, as pessoas aceitam ou não as recomendações da igreja em razão do quanto isto as toca intima e espiritualmente. Subjetividade, é este o grande lance. Mas petistas não entendem isso, eles acham que as condutas humanas só podem ser guiadas por leis emanadas do Estado e, por definição, garantidas pelas armas. Eles não conseguem entender como alguém pode fazer alguma coisa em razão de uma decisão puramente subjetiva, categoria na qual se incluem também as decisões racionais, afinal não se sabe de nenhum ser humano que consiga pensar pelo lado de fora.

O curioso é que o PT está na frente nas pesquisas. Vai ver nem eles acreditam mais nessas mirabolâncias mal ajambradas dos institutos de pesquisas. A raiva deles pode ser medo de perder a eleição, fundamentado na sua ignorância do que seja uma recomendação papal ou clerical, ou apenas raiva mesmo. Raiva contra uma agremiação que não os apóia totalmente, de uma organização que não pretende instaurar uma revolução, antes privilegia os aspectos não materiais da vida em seus discursos. Eles têm raiva da igreja pelo mais primitivo dos motivos para se ter raiva de algo: incompreensão. Eles não sabem o que a igreja é, não entendem o que seja ter fé, não compreendem o que seja a espiritualidade. Eles têm raiva porque não conseguem aceitar que as pessoas podem viver de um modo diferente da militância, viver fora da batalha eterna pela revolução contínua e inesgotável e suas promessas cada vez mais fantásticas, cada vez menos cumpridas e cada vez mais sacrificantes: quase 40% do suor do rosto dos brasileiros vai para o Estado. E o líder máximo das hostes petistas diz que é preciso ainda mais. Ou seja, mais sacrifício.

O curioso é que eles gritam contra o Papa, mas veneram um frei, o Betto. Estão lado a lado com o líder religioso Edir Macedo, que já foi criminalmente condenado por estelionato e charlatanismo e que vive falando em Deus e que as pessoas precisam seguir Deus. É que esses aí falam bem do PT também, esses eles não também não entendem, mas como existe uma convergência de interesses, bem, sabe como é, a guerra exige estranhas alianças. Como a dos esquerdistas europeus com o islamismo.

A rigor, o Papa só fez lembrar os padres católicos de que devem seguir os dogmas católicos, nada mais. Ora, isto não obriga ninguém a fazer o que um padre diz. E o que o papa pediu que os padres digam? Só que digam se um dado cidadão, ainda que seja candidato, tem sua posição a respeito de certos temas em conformidade ou não com os dogmas católicos. É só para os padres lembrarem: olhem, candidato que apóia o aborto não age de acordo com as leis de Deus. Só isso e nada mais do que isso. Porque tanta raiva? Justamente porque eles não entendem. Trata-se de uma orientação moral e espiritual, mas esses são conceitos incompreensíveis para os militontos.

E para que não reste dúvida alguma do que foi dito ou não dito pelo Papa, segue na íntegra o inteiro teor do seu sermão. Notem que não há menção alguma a candidato algum. Os petistas vestiram a carapuça porque nem eles acreditam que Dilma seja contra o aborto.

“Amados Irmãos no Episcopado,

Para vós, graça e paz da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo” (2 Cor 1, 2). Desejo antes de mais nada agradecer a Deus pelo vosso zelo e dedicação a Cristo e à sua Igreja que cresce no Regional Nordeste 5. Nos nossos encontros, pude ouvir, de viva voz, alguns dos problemas de caráter religioso e pastoral, além de humano e social, com que deveis medir-vos diariamente. O quadro geral tem as suas sombras, mas tem também sinais de esperança, como Dom Xavier Gilles acaba de referir na saudação que me dirigiu, dando livre curso aos sentimentos de todos vós e do vosso povo.

Como sabeis, nos sucessivos encontros com os diversos Regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, tenho sublinhado diferentes âmbitos e respectivos agentes do multiforme serviço evangelizador e pastoral da Igreja na vossa grande Nação; hoje, gostaria de falar-vos de como a Igreja, na sua missão de fecundar e fermentar a sociedade humana com o Evangelho, ensina ao homem a sua dignidade de filho de Deus e a sua vocação à. união com todos os homens, das quais decorrem as exigências da justiça e da paz social, conforme à sabedoria divina.

Entretanto, o dever imediato de trabalhar por uma ordem social justa é próprio dos fiéis leigos, que, como cidadãos livres e responsáveis, se empenham em contribuir para a reta configuração da vida social, no respeito da sua legítima autonomia e da ordem moral natural (cf. Deus caritas est, 29). O vosso dever como Bispos junto com o vosso clero é mediato, enquanto vos compete contribuir para a purificação da razão e o despertar das forças morais necessárias para a construção de uma sociedade justa e fraterna. Quando, porém, os direitos fundamentais da pessoa ou a salvação das almas o exigirem, os pastores têm o grave dever de emitir um juízo moral, mesmo em matérias políticas (cf. GS, 76).

Ao formular esses juízos, os pastores devem levar em conta o valor absoluto daqueles preceitos morais negativos que declaram moralmente inaceitável a escolha de uma determinada ação intrinsecamente incompatível com a dignidade da pessoa; tal escolha não pode ser resgatada pela bondade de qualquer fim, intenção, consequência ou circunstância. Portanto, seria totalmente falsa e ilusória qualquer defesa dos direitos humanos políticos, econômicos e sociais que não compreendesse a enérgica defesa do direito à vida desde a concepção até à morte natural (cf. Christifideles laici, 38). Além disso no quadro do empenho pelos mais fracos e os mais indefesos, quem é mais inerme que um nascituro ou um doente em estado vegetativo ou terminal? Quando os projetos políticos contemplam, aberta ou veladamente, a descriminalização do aborto ou da eutanásia, o ideal democrático – que só é verdadeiramente tal quando reconhece e tutela a dignidade de toda a pessoa humana – é atraiçoado nas suas bases (cf. Evangelium vita, 74). Portanto, caros Irmãos no episcopado, ao defender a vida não devemos temer a oposição e a impopularidade, recusando qualquer compromisso e ambiguidade que nos conformem com a mentalidade deste mundo” (ibidem, 82).

Além disso, para melhor ajudar os leigos a viverem o seu empenho cristão e sociopolítico de um modo unitário e coerente, é “necessária – como vos disse em Aparecida – uma catequese social e uma adequada formação na doutrina social da Igreja, sendo muito útil para isso o “Compêndio da Doutrina Social da Igreja”” (Discurso inaugurai da V conferência Geral do Episcopado Latino Americano e do Caribe, 3). Isto significa também que em determinadas ocasiões, os pastores devem mesmo lembrar a todos os cidadãos o direito, que é também um dever, de usar livremente o próprio voto para a promoção do bem comum (cf. GS, 75).

Neste ponto, política e fé se tocam. A fé tem, sem dúvida, a sua natureza específica de encontro com o Deus vivo que abre novos horizontes muito para além do âmbito próprio da razão. “Com efeito, sem a correção oferecida pela religião até a razão pode tornar-se vítima de ambiguidades, como acontece quando ela é manipulada pela ideologia, ou então aplicada de uma maneira parcial, sem ter em consideração plenamente a dignidade da pessoa humana” (Viagem Apostólica ao Reino Unido, Encontro com as autoridades civis, 17-IX-2010).

Só respeitando, promovendo e ensinando incansavelmente a natureza transcendente da pessoa humana é que uma sociedade pode ser construída. Assim, Deus deve “encontrar lugar também na esfera pública, nomeadamente nas dimensões cultural, social, econômica e particularmente política” (Caritas in veritate, 56). Por isso, amados Irmãos, uno a minha voz à vossa num vivo apelo a favor da educação religiosa, e mais concretamente do ensino confessional e plural da religião, na escola pública do Estado.

Queria ainda recordar que a presença de símbolos religiosos na vida pública é ao mesmo tempo lembrança da transcendência do homem e garantia do seu respeito. Eles têm um valor particular, no caso do Brasil, em que a religião católica é parte integral da sua história. Como não pensar neste momento na imagem de Jesus Cristo com os braços estendidos sobre a baia da Guanabara que representa a hospitalidade e o amor com que o Brasil sempre soube abrir seus braços a homens e mulheres perseguidos e necessitados provenientes de todo o mundo? Foi nessa presença de Jesus na vida brasileira, que eles se integraram harmonicamente na sociedade, contribuindo ao enriquecimento da cultura, ao crescimento econômico e ao espírito de solidariedade e liberdade

Amados Irmãos, confio à Mãe de Deus e nossa, invocada no Brasil sob o título de Nossa Senhora Aparecida, estes anseios da Igreja Católica na Terra de Santa Cruz e de todos os homens de boa vontade em defesa dos valores da vida humana e da sua transcendência, junto com as alegrias e esperanças, as tristezas e angústias dos homens e mulheres da província eclesiástica do Maranhão. A todos coloco sob a Sua materna proteção, e a vós e ao vosso povo concedo a minha Bênção Apostólica.” (fim do sermão do Papa)

E aí está, simples, claro, reto, direto, um jeito de falar com o qual os militontos também não estão lá muito acostumados. E qual será o católico que deixará de votar em Dilma? A PTizada não sabe dizer. Será aquele que, lendo ou ouvindo atentamente este sermão, refletir, rezar pedindo sabedoria a Deus e intimamente sentir que assim deve fazer. Só este, os outros não.

****

LEIA ABAIXO

Sobre o MP carioca enquadrar vários políticos do PT e PMDB por abuso do poder econômico:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/28/mp-carioca-tenta-enquadrar-petistas-por-abuso-do-poder-economico/

Sobre manchetes que mostram quem realmente ganha com este governo:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/28/manchetes-do-dia-sobre-o-governo-dos-pobres/

Sobre o presidente da CNT/Sensus fazer campanha descarada para o PT:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/28/presidente-da-cntsensus-faz-campanha-para-dilma/

Sobre o perigo de se eleger Dilma crendo que ela será Lula lá outra vez e sobre lições de história que nada valem para militontos e petistas de ocasião:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/27/lula-periga-ser-o-novo-kirchner-e-dilma-o-novo-pitta/

Sobre o lucro formidável dos bancos, do gasto de R$ 191 milhões na campanha do PT e este se dizer o governo dos pobres:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/27/e-possivel-servir-a-dois-senhores/

Sobre o PT ter usado indevidamente o nome de outro artista no tal manifesto dos intelectuais:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/27/outra-manifestacao-contra-o-manifesto/

Sobre o regime pelo qual Dilma Roussef e Franklin Martins orgulhosamente pegaram em armas:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/27/pelo-que-dilma-roussef-e-franklin-martins-pegaram-em-armas/

Sobre o cancelamento da entrevista com Serra pelo SBT e um negócio de R$ 7 bilhões de Sílvio Santos com o governo federal:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/26/sbt-cancela-entrevista-com-serra-silvio-tem-7-bilhoes-de-motivos-para-fazer-isto/