SWEET JANE – LOU REED – AO VIVO

21 outubro, 2010

Provavelmente a melhor versão ao vivo do clássico de Lou Reed. Não tem vídeo propriamente dito. Dê o play e curta de olhos fechados. Se preferir, acompanhe a letra abaixo ou, mais embaixo, a tradução (tirada de um site, então, sorry…)

Standing on the corner, suitcase in my hand,
Jack is in his corset, and Jane is in her vest, and, me,
I’m in a rock’n’roll band. Huh!
Ridin’ in a Stutz-Bearcat, Jim
Y’know, those were different times!
Oh, all the poet, they studied rules of verse,
And the ladies, they rolled their eyes.
Sweet Jane! Whoa! Sweet Jane, oh-oh-a! Sweet Jane!
I’ll tell you something,
Jack, he is a banker,
And Jane, she is a clerk.
Both of them save their monies, ha,
And when, when they come home from work!
Ooh! Sittin’ down by the fire, oh!
The radio does play,
The classical music there, Jim.
“The March of the Wooden Soldiers”.
All you protest kids.
You can hear Jack say, get ready, ah,
Sweet Jane! Come on baby! Sweet Jane! Oh-oh-a! Sweet Jane!
Some people, they like to go out dancing,
And other peoples, they have to work. Just watch me now!
And there’s even some evil mothers,
Well they’re gonna tell you that everything is just dirt.
Y’know that, women, never really faint,
And that villains always blink their eyes, woo!
And that, y’know, children are the only ones who blush!
And that, life is, just to die!
And, everyone who ever had a heart, oh,
That wouldn’t turn around and break it.
And anyone who ever played a part, whoa,
And wouldn’t turn around and hate it!
Sweet Jane! Whoa-oh-oh! Sweet Jane! Sweet Jane. Sweet Jane.
Sweet Jane. Sweet Jane.

Parado num canto, com uma maleta em minhas mãos
Jack está de espartilho, e Jane é seu colete, e eu,
Eu estou numa banda de rock n’ roll, Hah!
Passeando num Stutz Bear Cat, Jim
Você sabe, aqueles eram outros tempos!
Oh, todos os poetas estudaram regras de rima
E aquelas garotas, reviravam seus olhos
Doce Jane! Whoa! Doce Jane, oh-oh-a! Doce Jane!
Vou te dizer uma coisa
Jack, é um bancário
E Jane, é uma balconista
Ambos economizam dinheiro, ha
E quando eles chegam em casa do trabalho
Oh, sentando perto do fogo, oh!
O rádio toca
Música clássica, Jim
“The March of the Wooden Soldiers”
Com o protesto das crianças
Você pode ouvir Jack dizendo, prepare-se, ah
Doce Jane! venha baby! Doce Jane! Oh-oh-a! Doce Jane!
Algumas pessoas gostam de sair pra dançar
E outras têm que trabalhar, observe-me agora!
E há sempre algumas mães malévolas
Bem, elas lhe dirão que tudo isso é apenas sujeira
Você sabe que, as mulheres, nunca desmaiam de verdade
E aqueles vilões sempre piscam os olhos, woo!
E você sabe, as crianças são as únicas que ficam vermelhas!
E que a vida é só pra morrer!
E todos que tiveram um coração
Eles não se virariam e o quebrariam
E qualquer um que já fez um papel
Não se viraria e o odiaria
Doce Jane! Whoa-oh-oh! Doce Jane! Doce Jane!
Doce Jane. Doce Jane.

****

Sobre o irmão búlgaro de Dilma que foi passado para trás na herança do pai deles:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/20/irmao-de-dilma-ficou-fora-da-heranca/

Sobre a agressão do militante pago petista a José Serra e o incentivo gravado de José Dirceu à violência.

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/20/201010-petista-agride-serra-em-passeata-no-rj/

Sobre a necessidade, a liberdade e o dever de se publicar tudo e qualquer coisa a respeito da vida de qualquer candidato:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/20/a-importancia-da-baixaria/

Sobre o erro de se dar mais crédito ao governo do que ao próprio trabalho e ainda comparar condição de vida de trabalhador de grande cidade com miserável do sertão:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/19/foi-voce-quem-melhorou-sua-vida-nao-o-lula/

Sobre a estranha forma de trabalho do Datafolha:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/18/datafolha-de-novo-aprontando/

Sobre a inconstitucionalidade do Bolsa Família:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/18/a-inconstitucionalidade-do-bolsa-familia

Sobre o destino de terroristas na América do Sul:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/18/se-eles-lerem-isso-pobre-colombia/

Sobre quem é o verdadeiro candidato do PT:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/17/lula-explica-o-candidato-e-ele/

Anúncios

Um dia desses

2 dezembro, 2008

Estavam andando os dois velhinhos, assim meio sem ter o que fazer, meio por

obrigação médica. Encontraram-se assim meio por acaso, meio por destino :

 

— Asdrúbal Fernandez!

— Gumerciniano Pimenta!

Com algum esforço sentaram-se num banco de praça ( onde era não pergunte,

que isso só interessa aos dois velhinhos e olhe lá ) e começaram aquela

história do “você se lembra?…”.

Já na escola, o filho de alguém não gostou de ser chamado de filho daquela e

iniciou um grande quebra.

Num pasto qualquer, dois amigos espichados embaixo de uma árvore dialogavam:

— zzzzzzzzzzzz…

— RRRRRROOOOONNNNNCCCCC…

Mais ao norte, um protótipo de etíope sorria ao ver um lagarto na armadilha.

” … e quando o bode pulou prá direita, eu corri prá esquerda e o zé pra direita…”

O ferro voou do quarto ao banheiro, passando a dois centímetros e meio da cabeça do marido.

— Padre, eu pequei.

— E qual é a novidade?

A cadeira voou da sala ao outro quarto, passando a cinco centímetros da

cabeça da mulher.

Já na diretoria mandou o diretor para o inferno e quebrou a vidraça.

Cuspiu de lado, ajeitou o cabelo, arrumou as correntes no pescoço, abriu

mais um botão da camisa e foi até ela.

” … aí o Querêncio chutou a vaca e o Tião do matou o galo do seu Honório

que…”

— E o que tem nesta sacola?

— ora, seu guarda, nada que não possamos compartilhar…

— Deixa eu ver então.

— Pode abrir.

Ergueu a saia, chacoalhou as pulseiras, bochechou a cerveja, abaixou a blusa decotada, cruzou as pernas e ficou esperando ele chegar.

Debaixo daquela árvore o diálogo prosseguia:

— RRROOONNCCC…

  ZZZ…ZZZ…ZZ…ZZZ…ZZ…

Jogou todos os livros da biblioteca pela janela e beijou a professora.

Encheu as duas taças com vinho, tinto em uma, branco na outra. A linda jovem já estava craque, levou a bebida até o horrendo velho. Não teria de esperar muito agora.

” … e num dos pulos o Armelindo quase caiu, só não beijou o chão por modo

de ter se agarrado no rabo do bode. E foi aí que a cobra fumou. Depois…”.

— Eu sou um potro. Pocotó, pocotó, pocotó. Não, agora sou um jacaré, não, um pato, não, um avestruz.

— Não, você é um bêbado.

Enquanto o sofá ardia em chamas, a mesa de centro servia de campo de pouso para a jarra de cristal.

— Pois é, eu fico com isso aqui.

— Tudo bem, precisou de mais é só chamar, seu guarda, até mais.


Um dia desses – parte 2

2 dezembro, 2008

A professora jogou-o em cima da mesa e arrancou-lhe as calças.

O velho gemeu, caiu de lado babando, contorceu-se e morreu. A linda jovem

foi tomar banho. Preciso recomendar essa nova marca às minhas amigas, pensou.

Veio a mais de cem, o sinal fechado. Passou pelo cruzamento, mas não pela jamanta trinta e cinco metros a frente.

” era mais de meia noite quando o marreco do Padre Chico bicou a perna da

Dona Florisbela que tinha ido ali almoçar…”.

A panela de pressão beijou o vaso sanitário, o chuveiro despencou, o troféu foi parar embaixo da cama, os cabelos da mulher dançavam, junto com os papéis, pela casa.

Mais ao sul, um prédio em chamas consumiu ratos, baratas, mendigos, um pouco de história e muitas provas de algum escândalo.

Esperava tudo por seu comportamento, menos que a professora ficasse nua, de salto alto com um chicote na mão.

Chegou até ela, cuspiu de lado, deu uma tragada, ergueu as calças, arrotou e colocou a mão na sua coxa esquerda.

— Renato, você vai me amar para sempre?

— Que tal até Terça-feira?

A fumaça enchia a casa, a bíblia repousava descabelada sobre o fogão, o armário e o guarda-roupa trocavam confidências, marido e mulher tentavam ganhar a rua, mas a chave da porta estava na privada. ” e foi então que o major silva pulou nas costas da dita cuja…”.

Lia o jornal na praça, não sabia de quando era. Estava mais pobre do que há cinco minutos. O molequinho de nariz ranhento, por sua vez, estava mais rico.

E o sol se pôs.