ENGASGANDO COM O REMÉDIO

11 novembro, 2010

Mais um perigo de proporções apocalípticas para o mundo. Não bastasse o aquecimento global, a epidemia de AIDS e a prevista escassez de água potável no mundo, agora temos que nos preocupar também com a água envenenada. Por arsênico. É o que dizem alguns cientistas. Claro, são daquela mesma turma do IPCC. Segundo eles, 140 milhões de pessoas podem ser prejudicadas.

O arsênico está presente naturalmente em certos tipos de solos. Muitos ambientalistas, ONG´s e cientistas recomendaram que se cavassem poços artesianos em certas regiões, para evitar que as populações locais bebessem água contaminada pela poluição de superfície e/ou ficassem à mercê da sorte. Pois é. E agora descobriram que lá embaixo tem arsênico.

Típico caso de serviço mal feito? Ou simples catastrofismo? Claro, números de gente afetada por já mesmo ninguém apresentou até agora. Nem poderia ser diferente, quando se trata de expor bem os fatos presentes, essa turma é meio limitada, mas quando se trata de pintar um apocalipse, ah, não tem quem faça igual.

****

LEIA ABAIXO

Vídeo sobre as duas suspeitas de corrupção que pairam sobre Sílvio Santos e os R$ 17,5 bilhões envolvidos na coisa toda:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/11/10/silvio-santos-2-suspeitas-e-175-bilhoes/

Sobre mais manchetes que mostram quem realmente está melhorando de vida no país do governo dos pobres:
https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/11/09/manchetes-do-pais-do-governo-dos-pobres-2/

Sobre a celebração de um cientificista e de como a coisa poderia ser ainda pior:
https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/11/09/dia-de-carl-sagan-e-triste-mas-poderia-ser-pior/

Sobre como a iniciativa privada ajudou a Coréia do Sul a mudar a educação local a ponto de virar referência mundial:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/11/08/na-coreia-mais-faculdades-privadas-ajudaram-no-crescimento-economico/

Vídeo sobre os estranhos critérios que a OAB usa para escolher os alvos de suas ações e repreensões e ainda sobre a liberdade de expressão:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/11/07/video-oab-e-racismo/

Sobre um pedido para que a OAB mova ação direta de inconstitucionalidade contra os comitês de controle da imprensa e contra a PEC 32/2006, na parte que tira do eleitor o direito de escolher o presidente da República:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/11/04/pedido-a-oab-mova-uma-adin-contra-o-controle-da-imprensa-e-contra-a-eleicao-indireta-para-presidente/

Sobre como a iraniana Sakineh pode ser enforcada antes do previsto e como Lula não tem influência alguma sobre o governo iraniana ao contrário do que é dito por aí:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/11/01/sakineh-podera-ser-enforcada-em-poucos-dias/

Sobre a fantástica idéia de Evo Morales de colocar Fidel Castro como Secretário Geral da ONU:
https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/11/01/morales-quer-fidel-na-onu/

Sobre como um mesmo fato pode ser noticiado de diferentes formas:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/11/01/a-travessia-da-galinha/

Sobre o absurdo de se censurar Monteiro Lobato e quem está propondo tal sandice:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/29/querem-censurar-monteiro-lobato/

Sobre o lobista que diz que Dilma o ajudou no caso dos correios:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/29/lobista-diz-que-dilma-o-ajudou-no-caso-dos-correios/

Sobre declaração dada por Dilma Roussef em 28/10/2010 se colocando contra a prisão de quem pratica o aborto:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/28/em-28102010-dilma-declarou-publicamente-ser-contra-a-prisao-de-quem-pratica-o-aborto/

Sobre o regime pelo qual Dilma Roussef e Franklin Martins orgulhosamente pegaram em armas:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/27/pelo-que-dilma-roussef-e-franklin-martins-pegaram-em-armas/

Sobre o cancelamento da entrevista com Serra pelo SBT e um negócio de R$ 7 bilhões de Sílvio Santos com o governo federal:

https://domaugostodamateria.wordpress.com/2010/10/26/sbt-cancela-entrevista-com-serra-silvio-tem-7-bilhoes-de-motivos-para-fazer-isto/


O jeito Edir Macedo de fazer ciência

27 agosto, 2009

Consta que um belo dia Edir Macedo pregava sobre a importância do dízimo, mais ou menos assim:

“Deus vai operar o milagre na sua vida, ele tem que fazer, porque você já fez a sua parte, se você já pagou o dízimo, já fez sua parte e agora ele tem de fazer a dele, tem de fazer”.

Basicamente, é o carnê-milagre. Pois bem, o que ele faz, mas não só ele, é criar um problema (o cramunhão e/ou a falta de Deus como causa de tudo de ruim) e em seguida vender a solução. Exatamente o que vem fazendo toda a cambada do IPCC, aquela bugrada do aquecimento global antropogênico.

É o caso do Dr. Klaus Lackner, um cientista do Centro de Engenharia da Terra da Universidade de Columbia, EUA. O cara inventou uma árvore artificial. Sim, exatamente isso, uma árvore artificial. Ele bolou um material plástico capaz de reter o dióxido de carbono da atmosfera. Bela invenção, sem dúvida. Para a coisa ter algum efeito seria preciso, segundo ele disse à BBC, montar uma máquina do tamanho de um caminhão. Essa máquina seria capaz de reter por dia Co2 de 20 carros.

Agora, aos números. Uma máquina dessas custaria coisa de US$ 30 mil, uns sessenta mil reais. Para dar cabo de 20 carros. Imagine quanto seria gasto para encarar a demanda de uma São Paulo.

Captou? Ele pode estar na maior boa fé do mundo, não se duvida nada disso, mas veja que bacana, primeiro te dizem que o mundo vai acabar e agora vendem milagres a preço de ouro. E o Dawkins tem a cara de pau de dizer que o mundo da ciência é uma opção melhor que as religiões (como se fosse pouco seu seu Novo Humanismo ser uma religião sem tirar e nem por).

Por outro lado, talvez sem querer, o Dr. Klaus acabou fazendo o que se espera da tecnologia: que nos satisfaça os desejos, minimizando as consequencias. Com uma invenção dessas, num preço mais razoável, não haveria necessidade de se promover uma guerra ao automóvel como se faz agora. Méritos à parte, o que importa é que a ciência e a tecnologia, como a política e instituições em geral, estejam a serviço das pessoas, jamais o inverso.


Crer, obedecer, combater

22 junho, 2009

Mais um artigo dando um cacete na histeria pseudo-científica do aquecimento global antropogênico. Os adeptos, aderidos e bajuladores do IPCC já estão ficando ridículos, mas a imprensa continua lhes dando crédito e ainda dá pouco espaço para as vozes dissonantes. Avião que voa…

****

Pletora de provas mostra que o CO2 nada tem a ver com o clima
Luis Dufaur

O Prof. José Carlos de Almeida Azevedo, 76, é doutor em física pelo MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts, EUA), ex-reitor da UnB (Universidade de Brasília) publicou clarividente matéria no “Jornal da Ciência” e reproduzida na “Folha de S.Paulo” de 16 de abril de 2009.

Nela desmente com impressionante aparato documental um dos maiores bluffs do terrorismo ecologista: que o gás carbónico (CO2) aquece perigosamente a Terra.

“O artigo de Myanna Lahsen (Tendências/Debates, 3/4), em que pretendeu criticar dois artigos que escrevi nesta página, me fez lembrar duas pessoas. O comediante Groucho Marx disse: “Hoje, ciência é o nome do jogo, e, se você conseguir enganar, você está dentro”.

“O filósofo Mario Bunge, no estudo In Praise to Intolerance to Charlatanism in Academia (Louvando a Intolerância ao Charlatanismo na Academia, Anais da New York Academy of Sciences), critica os que falam de ciência e dela nada entendem. Bunge disse que Feyerabend “tem merecido atenção porque, erradamente, admitiram que ele conhece algo de física. Mas, de fato, a sua ignorância desse assunto, o único que procurou entender, era abismal”. Lahsen entende menos de física que Feyerabend.

“Para ela, “é fácil criar confusão sobre a ciência do clima”, sem saber que na ciência não há confusão, há divergência, e que não existe a “ciência do clima”. Lahsen, antropóloga dinamarquesa, diz que o IPCC “não é uma instituição de pesquisa” e “não faz previsões do tempo nem do clima. Ele avalia ciência já produzida”, mas se desdiz ao afirmar que o IPCC tem “milhares de cientistas”.

“Levianamente, ela afirma que tenho “entendimento errado” do que é o IPCC e que me baseio em um relatório de 23 cientistas, “um número muito pequeno se comparado aos milhares de cientistas (…) do IPCC”, o que é falso.

“Para Lahsen, a validade científica depende de votação, apesar de a frase de Galileu ter mais de 400 anos: “Em questões de ciência, a autoridade de mil não vale o humilde raciocínio de um só indivíduo”. O que fazem esses “milhares de cientistas” que frigiram 50 bilhões de dólares para provar a influência do CO2 no clima e nada conseguiram?

“Cabem perguntas: há prova científica sobre a influência do CO2 no clima? Não há.

“Algum livro de física de nível universitário menciona esse efeito estufa? Salvo engano, só há um, o Thermal Physics, de Kittel (edição de 1990), que, em quatro linhas, atribui o efeito ao vapor d’água. O que os ecoterroristas chamam de efeito estufa nada tem a ver com o que ocorre numa estufa para plantas ou em um automóvel com os vidros fechados e exposto ao sol.

“Há prova de que o CO2 nada tem a ver com o clima? Há uma pletora. O artigo de Jan Veizer, entre outros, prova, numa perspectiva de 4 bilhões de anos do ciclo do carbono, que o fator preponderante não é o CO2, é a radiação cósmica.

“E há prova inequívoca, a feita com o gelo retirado em Vostok, que mostra que a temperatura sempre aumenta antes de o nível do CO2 aumentar; não ocorre o oposto, como quer a sábia danesa, que não distingue causa de efeito nem sabe que há mais coisas entre o céu e a Terra além do CO2.

“O Danish National Space Center corresponde ao Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), onde Lahsen se encontra. Lá, os dinamarqueses E. Friis-Christensen, K. Lassen e H. Svensmark provaram que a radiação cósmica cria múons que chegam às nuvens baixas da Terra e formam os núcleos de condensação que definem o clima e o tempo.

“Por sua vez, N. Shaviv e J. Veizer, em Israel e no Canadá, provaram a correlação que há entre o clima na Terra e a passagem do sistema solar pelos braços da galáxia local, a Via Láctea. Por isso, o Cern (Organização Europeia de Pesquisa Nuclear) amparou esses estudos e reuniu cientistas e cerca de 30 instituições para estudar a natureza do clima e do tempo sob essa perspectiva.

“São o Sol e a radiação cósmica que os definem. Mas a pseudocientista Lahsen discorda, diz que é o CO2, o que me leva a lhe sugerir que volte à Dinamarca e lá exiba a sua sabedoria. Mas o que faz uma antropóloga em um instituto de estudos espaciais? Conversa com seres extraterrestres?

“R. Lindzen, do MIT, disse que adeptos do IPCC agem como a juventude nazista. Myanna Lahsen segue a cartilha da juventude fascista, de Mussolini: “Credere, obbedire, combattere”. Crer, obedecer, combater. É o que cabe aos pobres em espírito”.